Tuesday, December 14, 2004

 

Work in progress...

Isso acontece... E já havia dito que seria queimado... Bom, aí está o mesmo-outro poema em versão revista e atualizada...


Poema para mão canhota e/ou Escrevendo torto por linhas cegas

Horas vagas: jazo por onde passo...
Horas vigas: cresço pra onde espaço...
Putrefazendo, faço.
Ferrugem que
incide nesse tampo-fato
inside desse tempo-aço.
Mesmo de noite minha sombra
Me revela um mórbido palhaço...
Exit(o) ou exato?
Pronome pessoal do caso reto,
Tirando um triz, desato:
Encontro a bissetriz
Do quadrado: besouro abstrato...

Pronome impessoal do acaso oblíquo,
Ex-ato, cicatriz,
Olho fátuo queimando o sol da boca
E as entranhas do nariz
No quadro até o fim do teto (da vida)
Ultrapassando em ferida o objeto,
O objetivo, o sujeito abjeto,
Num modo indicativo (mesmo que manco, torto),
Interno... em torno...
Inferno... in forno...
Anoitece: - Buon giorno!

- Sou daqueles que num incêndio salvam o fogo...



por JV, lembrando sempre que "tudo passa, até uva-passa..." :P




Comments:
DESCULPE O COMENTARIO A JATO:
FODASSO!
BJS
TAMI
 
Post a Comment

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?